Maria Fumaça

Arquivo por Autor


Imagem

 

Depois de aproximadamente 15 anos morando em Mato Grosso do Sul , o escritor Geraldo Borges regressa a Teresina (PI) , nosso torrão natal. Apesar de ter uma  obra extensa , entre contos, romances, crônicas e sonetos , ele é pouco conhecido do grande público,  porque a maioria da seus livros continua inédita.

Leitor voraz de prosa de ficção, Geraldo Borges é um erudito  em literatura clássica, como poucos. Talvez seja um dos raros intelectuais que leu ULYSSES ,  de  James Joyce. Até Milôr Fernandes confessou, ates de morrer, que jamais lera ULYSSES. Dai se deduz que Geraldo Borges é um profundo conhecedor da literatura nacional e estrangeira.

Aliás,  Geraldo Borges foi quem me influenciou para ler os clássicos como Balzac, Tolstoi, Dostoievski, Stendhal,  Gogol, Gorki, Dickens, entre outros. 


Imagem

No momento  em que  se instala a Comissão da Verdade no Maranhão, o nome de Ruy Frazão destaca-se entre os revolucionários socialistas  assassinados pela ditadura militar de 64. A célula  da Ação Popular Marxista-Leninista em Teresina(PI), dirigida pelo jornalista Benoni Alencar, que faleceu em 2011, da qual fiz parte,  Ruy Frazão manteve algumas reuniões conosco.

Ele e Osvaldo Rocha faziam um trabalho de base na região do Pindaré, no Maranhão, onde conheceram  o líder camponês Manoel da Conceição, que perdera uma perna  num conflito entre trabalhadores rurais e tropas da Polícia Militar do então governador José Sarney.

Segundo  o  romance  ‘Rosa Negra” , de autoria de Osvaldo Rocha, os moradores  do Pindaré foram  aterrorizados pela repressão e as casas deles invadidas  e  incendiadas . Manoel da Conceição  foi preso e sofreu um tratamento desumano e cruel,  conforme relata no livro ‘Essa Terra É Nossa”.

Osvaldo Rocha, já em São Paulo,  caiu nas mãos do DOI-CODI, conta em ‘Rosa  Negra” as barbaridades das torturas, e que de lá escapou milagrosamente, sendo levado para uma penitenciária paulista.

Ruy Frazão , filiado ao PCdoB,  estava na clandestinidade.  Caçado pelo delegado Fleury, do DOPS de São Paulo,  Ruy Frazão  foi preso  numa feira de Petrolina (PE) e,depois, assassinado pelo famigerado e   temível Fleury. 


Herculano Moraes

Eis um poema que me surpreendeu de autoria de Herculano Moraes. As metáforas são belas  quando compara o rio com um “deus  estranho”.  As imagens  caracterizam-se pela opulência em cada estrofe e nos arrasta ao leito do rio em noites de lua cheia.

‘O Rio da Minha Terra”  conta a história , sempre numa linguagem esteticamente elaborada,  da tragédia das enchentes, guardadas no inconsciente /consciente do  poeta, algo semelhante a uma navegação existencial, condição fundamental  da espécie humana.

Do ponto de vista da Programação  Neurolinguística, a poesia de  Herculano Moraes  tem como território o rio, memória pétrea  da infância, foz das nossas crenças e valores.

No texto observamos que o sistema sensorial do vate piauiense se compõe  um mapa auditivo, visualização e cinestesia de profunda captação da realidade.

Depois de várias décadas de trabalho na oficina da poesia, Herculano Moraes  atingiu uma altura privilegiada como detentor de ferramentas  sofisticadas do fazer literário.


13139281

Compartilhamos da opinião do ministro da justiça, José Eduardo Cardozo, de que o boato criminoso sobre o bolsa família foi planejado. E acrescentamos que o autor intelectual do crime pode até ser um aliado do governo insatisfeito com interesses fisiológicos contrariados.

Na classe política temos  terroristas que já praticaram perversidades inomináveis,  e que mesmo assim subiram altos degraus da vida pública. Basta que se pesquise os atos lombrosianos praticados na trajetória política deles. Acontece que o tempo longínquo lança  no esquecimento parte dessa memória terrível.

Como o terrorismo do bolsa família está sob investigação da Polícia Federal, não cabe maiores especulações. Mas não acredito que a Al Qaeda tenha instalada uma célula no Brasil.


O processo eleitoral  que acontece no Maranhão é há muito tempo pautado pelo abuso do poder politico, econômico e fraudes de todos os matizes. A oposição sempre ganhou, mas não leva e 2013 não vai ser diferente. Só um milagre pode evitar as manobras eleitoreiras do poder dominante na terra de Gonçalves Dias.

A maquina do estado está contaminada pela corrupção e a maioria de representantes do povo em todas as esferas públicas se subjuga por dinheiro e cargos. O povo é oposição, porque está descontente há décadas  com as injustiças sociais,  fome e a miséria.

É difícil romper essa camisa de força terrível que se monto no maranhão desde meados da década de 60, quando um grupo infiltrado no vitorianismo  outra banda podre da bandidagem politica, derrubo o velho oligarca com o apoio do povo que queria mudança e foi traído até hoje  Este mesmo povo um dia vai acabar com esse processo eleitoral corrupto, só dele emana o verdadeiro poder, mesmo que os eleitos o decepcionem, porque o poder corrompe como a história tem comprovado. De qualquer forma, queremos mudança. pois o valor universal da democracia é a alternância do poder. Os políticos reacinários é corruptos gostam do poder para viver mamando nas tetas dele. Cabe ao povo fiscalizar em todas as esferas comunitárias, sindicais e de base em geral. As esferas institucionais estão podres, mais precisamente o parlamento. Vejam as mazelas do congresso nacional expostas todos os dias e seus representantes rindo da miséria alheia e expulsando das suas dependências até nossos indígenas,  trabalhadores e militantes dos movimentos sociais e populares. Não existe mais lugar para os poderes envelhecidos de Montesquieu


Imagem

 

LAILSON BELFORT

1-    Qual sua visão em relação ao movimento de combate à

 corrupção em SãoLluís?
R: São Luís, assim como outras cidades, possui interesses e conflitos políticos locais mesmo que, por vezes, influenciados por outros conflitos e interesses externos, apenas a relevância dessas influências muda de intensidade conforme a situação sociopolítica local exija.
O momento em que vivemos hoje em São Luís exige ainda mais mudanças na dinâmica e atuação política, mudanças essas que visam um progresso socioeconômico equiparado ao progresso das demais capitais brasileiras, em outras palavras, São Luís não pode ficar para trás.
Nesse contexto, a má atuação política dos nossos governantes mina qualquer possibilidade de termos o progresso que nossa cidade precisa, mais uma vez ficando evidente que a atuação da sociedade civil se faz necessária como força de grande influência nas decisões políticas, assim os movimentos possuindo papel importante na sensibilização da população para que essa entenda sua importância na ação política no combate contra a corrupção.

2- Quais os avanços e mudanças de um movimento?

R: Apesar de sermos uma cidade da qual a atuação política por parte da sociedade civil não se faz tão constante, os movimentos sempre existiram e atualmente estão ganhando mais visibilidade, graças a maior facilidade na troca de informações entre os cidadãos, principalmente com a expansão das redes sociais como forma de comunicação rápida e simplificada. A tendência é haver mais participação política da sociedade nos movimentos,  conforme o nível de interação for aumentando.
As influências políticas externas (movimentos nacionais, por exemplo) existem influenciando os movimentos locais, logo, por vezes, evidenciando algumas articulações políticas semelhantes, mas conforme os movimentos locais vão atrelando a necessidade política daqui, o foco de atuação inicial sofre alterações, ramificando mais objetivos políticos.

3- Em sua opinião quais são os fatores que mais propiciam a corrupção  e o que pode ser feito para combatê-la?

Há vários fatores, mas de forma geral, acredito que tanto o péssimo nível educacional e informacional da população quanto a impunidade são os principais fatores que perpetuam a corrupção, essa se propagando e atingindo uma escala cada vez maior, enraizando ainda mais entre a sociedade o sentimento de desconfiança quanto ao futuro da política brasileira. A falta de educação e instrução adequada dá suporte a alienação e ao analfabetismo político, deixando os cidadãos expostos à coação política, pois a partir do momento em que desconhecemos o que se passa no meio político, que não sabemos como podemos agir politicamente e tentar reverter esse quadro, o sentimento de impotência quanto a nossa ação difunde-se ainda mais. Acredito que a corrupção possa acabar quando nos dermos conta da importância da participação política de todos, com a constante investigação dos políticos por parte de todos os cidadãos, denunciando e organizando-se em movimentos ou grupos sempre que necessário para interferir na má política dos governantes. Para isso, precisamos de uma real educação formal crítica, com melhor acesso a boa informação e meios para debater essa, e o fim da censura de diversas mídias que se articulam para manter em pé interesses próprios. Essa é uma fórmula potencial para o conhecimento e o senso crítico tão prejudiciais à corrupção.

 

Mayra Martins

1-    Qual sua visão em relação ao movimento de combate a corrupção em São Luís?

Todos temos interesses individuais e comuns, e são esses interesses comuns que nos fazem pensar no próximo. Ao combater a corrupção, queremos um país melhor, um Estado melhor, uma vida decente para todos. Não lutamos por interesse próprios, mas para o bem comum. Este movimento trás à tona o desejo de mudança, o amor à pátria, a necessidade de fazer algo em prol daqueles que não têm voz, nem vez.

 

2-      Quais os avanços e mudanças de um movimento?
São poucos, mas visíveis. Existem muitos adeptos do movimento, em âmbito nacional. Levar o povo a pensar, tornar-se critico e ir atrás do que é seu por direito, é o que impulsiona o movimento. Tornar os jovens que são “o futuro do país”, em cidadãos ativamente políticos. E muito já foi feito, através do Dia do Basta, Fora Renan, Primavera Maranhense. Conseguimos mostrar que não iremos desistir, não iremos nos calar.

3-      Em sua opinião quais são os fatores que mais propiciam a corrupção e o que pode ser feito para combatê-la?
A corrupção possui traços culturais, posso dizer até que tradicional, desde o descobrimento do Brasil. Etimologicamente, corrupção política é a quebra de um estado funcional e organizado, utilização do poder ou autoridade para conseguir obter vantagens e fazer uso do dinheiro público para o seu próprio interesse, de um integrante da família ou amigo. O que vemos em nosso país é a corrupção em sua forma máxima, um lugar onde todos possuem “esperteza” digna de estudos. Como exemplo, o nosso Ex. Presidente do Senado, que há décadas torna o nosso Estado no pior em indicies nacionais. Combateremos a corrupção com a ajuda e empenho de todos os brasileiros, cidadãos formadores de opiniões e reprodutores da mudança. “Juntos somos fortes”.


Imagem

O repórter Gabriel Barradas, do Blog  MARIA FUMAÇA, entrevistou os militantes anticorrupção Albert  Malone, Mayra Martins e Lailson Belfort sobre O DIA DO BASTA, que vai acontecer,  20 de abril,  a partir das 14 horas, na Praça Maria Aragão em São Luís do Maranhão: ALBERT  MALONE

1-Qual a sua visão em ralação ao movimento de combate à corrupção em São Luis?

R=  Os movimentos são muito importantes, mais é preciso que haja uma maior participação da sociedade, é preciso fortalecer os movimentos de combate á corrupção em São Luis mobilizando a população para que participe mais ativamente dos acontecimentos políticos, Os movimentos de combate   à corrupção aqui tem um papel fundamental , no sentido de cobrar, fiscalizar e reivindicar os nossos direitos, pressionando assim o sistema político a fazer o seu papel de forma correta, investindo mais na educação, saúde, segurança e inclusão social..

2-    Quais os avanços e mudanças de um movimento?

R= Através dos movimentos,   tivemos alguns avanços  no que diz respeito à participação social nos diversos espaços de discussão. Os movimentos começaram a  virar uma realidade,levando  as pautas  ao congresso brasileiro.

Os movimentos foram responsáveis pela mobilização da sociedade em favor da aprovação de leis de iniciativa popular como a lei da compra de votos e a lei da ficha limpa.

3-     Em sua opinião quais são os fatores que mais propiciam a corrupção e o que pode ser feito para combatê-la?

R= Existem vários fatores que levam à corrupção: instituições ineficientes, falta de responsabilidade e transparência, omissão da justiça, leis fracas, e o que mais preocupa é a impunidade, políticos roubam, desviam o dinheiro público e não vão para a prisão, usam os privilégios do cargo em beneficio próprio.

É preciso mais rigor em nossas leis, para que a corrupção se torne crime hediondo, fortalecer a atuação do ministério público e dos órgãos de controle e das instituições especializadas em medidas de combate a corrupção como as polícias, corregedorias e fiscalizar a administração pública,  para que possa aplicar de forma correta os investimentos, as políticas públicas etc.

Continua…


Meu Twitter

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.