MESTRE GERALDO BORGES 


RECORDAÇÕES DA CASA PATERNA é o livro de memórias do escritor Geraldo Borges, piauiense, erudito em literatura clássica, que se tornou um sacerdócio em sua vida. Foi através dele que eu li os clássicos quando éramos prisioneiros no quartel da Polícia Militar de Teresina, nossa terra natal, ele por adoção e eu por nascimento.

As memórias de Geraldo, todo o conteúdo do livro, mostra a vida de um homem concentrado na arte de escrever e atravessou os desafios existenciais  com dignidade e simplicidade. Conhecemo-nos antes da prisão nas imediações da Igreja São Benedito, sendo apresentado a ele pelo meu amigo Nicolau Waquim Neto.

RECORDAÇÕES DA CASA PATERNA é produto da carreira de um operário do verbo, já calejado pela produção ininterrupta de obras de vários gêneros literários, tais como contos, romancQes, sonetos, crônicas etc. 

O ficcionista publicou até hoje apenas alguns títulos da vasta obra que possui. Igual à outros escritores, ele deixará para a prosteridade diversos livros de ficção que talvez serão as suas obras primas. Faz literatura por amor.  

É claro que gostei do livro porque sou personagem ao lado de outros companheiros de aventura revolucionária contra a ditadura militar de 64. É fui lendo, não na ordem linear,mas segundo o meu interesse momentâneo. São primorosos as crônicas, que são atonicas das memórias, os capítulos OS PARTOS DA MINHA MÃE, VISITA À ZONA DA PAISSANDU, UM POUCO DE LITERATURA, RECORDAÇÕES DA CASA PATERNA é o livro de memória do escritor Geraldo Borges, piauiense, herodito em literatura clássica, que se tornou um sacerdócio em sua vida. Foi através dele que eu li os clássicos quando éramos prisioneiros no quartel da Polícia Militar de Teresina, nossa terra Natal, ele por adoção e eu por nascimento.

As memórias de Geraldo, todo o conteúdo do livro, mostra a vida de um homem concentrado na arte de escrever e atravessou os desafios existenciais  com dignidade e simplicidade. Conhecemo-nos antes da prisão nas imediações da Igreja São Benedito, sendo apresentado a ele pelo meu amigo Nicolau Waquim Neto.

RECORDAÇÕES DA CASA PATERNA é produto da carreira de um operário do verbo, já calejado pela produção ininterrupta de obras de vários gêneros literários, tais como contos, romances, sonetos, crônicas etc. 

O ficcionista publicou até hoje apenas alguns títulos da vasta obra que possui. Igual à outros escritores, ele deixará para a prosteridade diversos livros de ficção que talvez serão as suas obras primas. Faz literatura por amor.  

É claro que gostei do livro porque sou personagem ao lado de outros companheiros de aventura contra a ditadura militar de 64. E fui lendo, não na ordem linear,mas segundo o meu interesse momentâneo. São primorosas as crônicas, que são a tônica das memórias, os capítulos OS PARTOS DA MINHA MÃE, VISITA À ZONA DA PAISSANDU, UM POUCO DE LITERATURA, PASSAGEM EM SÃO LUIS, MINHA VIDA COM CONSTÂNCIA, UM PRESENTE DE AMIGO OCULTO e o último sobre as prisões. Que continuem produzindo para que eu possa ter motivação para ler ficção com prazer. PASSAGEM EM SÃO LUIS, MINHA VIDA COM CONSTÂNCIA, UM PRESENTE DE AMIGO OCULTO e o último sobre as prisões. Que continue produzindo para que eu possa ter motivação para ler ficção com prazer. 

Anúncios

BRASIL EM GUERRA 


O Brasil enfrenta várias guerras que matam milhares de pessoas. Todas são cruéis e bárbaras. Há duas absolutamente determinantes: a do crime organizado nas favelas, periferias das cidades e das elites perversas, chamadas de colarinho branco. Às vezes até as duas se confundem. Não é obrigado a gente ser do serviço de inteligência dos órgãos civis e militares para se chegar a essa conclusão. As mídias impressas de rádio, televisão e digitais revelam o cenário trágico do Brasil. 

Desde a Ditadura Militar de 64, o crime organizado de drogas, assaltos a bancos e de ruas vêm crescendo assustadoramente. Daí em diante as organizações criminosas criaram um estado paralelo dentro do estado legalmente constituído. Os governos não combateram pela raiz o banditismo. Pelo contrário, reprimiram  apenas paliativamente os novos inimigos da sociedade.  Se os militares se preocuparam apenas em reprimir os comunistas ou subversivos, os governos civis que os sucederam voltaram- se para o enriquecimento através da malversação do dinheiro e patrimônio público. Estupraram a democracia brasileira, sonhada por Ulisses Guimarães, que nos legou a Constituição de 1988, atualmente vilipendiada por políticos apátridas, com raríssimas exceções.

A crise brasileira se explica pelo passado, temos uma conjuntura de grave crise política, econômica e social. Pior é que não existe liderança para ir às eleições presidenciais com cacife para comandar os nossos destinos. Independentemente de qualquer condenação a Lula, ele ainda é a única liderança do povo brasileiro. Os demais colocados a pré – candidatos a Presidente da República nenhum tem liderança suficiente para mudar o Brasil. Estamos na perigosa encruzilhada de continuar o país conflagrado pela fome, injustiça sociais, miséria e guerra sem tréguas. 

Há outras guerras que compõem o panorama da república tropical, tão rica pela própria natureza, mas maltratada pela velha politica romana patrimonialista, clientelista e fisiológica. Por exemplo,  o trânsito mata mais ou menos 10 mil pessoas por ano, é uma guerra. As quadrilhas organizadas e desorganizadas se multiplicam ao lado do narcotráfico. Sem falar nas quadrilhas infiltradas nas instituições, que são os pilares do nosso ordenamento jurídico. Precisamos, partidos políticos democráticos e socialistas, movimentos sociais e outros para estabelecer uma estratégia comum para derrotar o conservadorismo, no pleito de 2018.

O ENTARDECER NA PRAIA DO CAOLHO 


Sempre vou curtir meu lazer nas praias. como moro perto delas, alterno minhas idas do Olho D’Água, Caolho,Calhau, Marcela, São Marcos e a do Pescador. Assim fujo da rotina monótona. 

Nelas, tenho o prazer maravilhoso de olhar a imensidão do Oceano Atlântico, que meus olhos se perdem no infinito. Vez por outra, já começando a noite, vejo Alcântara, cidade histórica, mais velha que São Luís do Maranhão, hoje deformada por uma Base Espacial de lançamento de foguetes, onde já explodiu um, com mais de 20 tripulantes, a única missão infelizmente mal sucedida, e, até agora, inútil como projeto estratégico do então governo militar.

O vento sopra forte aumentando o bem estar de quem passeia no calçadão da Litorânea. Neste início de inverno, mesmo com o céu nublado, a gente não deixa à praia. 

O por do sol é outra maravilha da mãe natureza. A água de coco é o alimento mais consumido por nós, praieiros, que contém sais minerais necessárias ao organismo humano.

Lembrei me agora do meu e-book O MAR DE UPAON-AÇU, no qual reúno uma dezena de crônicas sobre o cotidiano do calçadão da Litorânea . Esta é apenas mais uma.

TORQUATO NETO – EXPOENTE DO TROPICALISMO 


Foi através de Evandro Cunha e Silva, companheiro de luta contra a Ditadura Militar de 64 em Teresina – PI, advogado já falecido, que conheci o poeta Torquato Neto em 1970. Estávamos em frente ao Cine Rex, na praça Pedro II. Depois, nos cruzamos no antigo Bar Carnaúba, extinto há muitos anos.

Torquato Neto passava meses em Teresina de tempos em tempos. Em 1972, eu estava no Rio de Janeiro,  visitando a Casa do Estudante Universitário (CEU ), localizada próxima aos Arcos da Lapa, onde fora a zona boêmia carioca. O amigo Benoni Alencar era residente da CEU e me passou um exemplar do Jornal TRIBUNA DA IMPRENSA, dirigido pelo corajoso jornalista Hélio Fernandes. Tive uma surpresa ao ler uma matéria sobre o suicídio do poeta piauiense. 

Vim a ouvir o long play GELÉIA GERAL, o hino do tropicalismo, letra de Torquato Neto e música de Gilberto Gil, aqui em São Luís. O disco foi enviado para mim pelo então Secretário de Cultura do Piauí em 1997, Jesoaldo Cavalcante Barros. Outra letra e música que está no long play é DIA D, na qual Torquato revela sua faceta de poeta extremamente angustiado, senão psicótico, conforme ouvi reiterados comentários de Benoni, que leu o livro do vate OS ÚLTIMOS DIAS DE PAUPÉRIO.

Gilberto Gil e Caetano Veloso que foram parceiros do poeta sempre fizeram declarações elogiosas a ele. E, agora, vai ser lançada em São Luís a monografia RISCO DO BERRO – TORQUATO NETO MORTE E LOUCURA de Isis Rost, graduada em Ciências Sociais pela UFMA. A monografia foi lançada em novembro em São Paulo e na segunda semana de dezembro em Teresina. 

” Samuel Filho “

BRASIL 2017


giphy.gif

A política brasileira, considerando as suas peculiaridades, é marcada por contradições, assim como todos os fenômenos sociais e da natureza. O governo Dilma tinha um modelo, seguindo as pegadas dos dois mandatos do ex – presidente Lula, voltados para reduzir as desigualdades sociais, bastante graves, a partir do colonialismo português.

Reeleita para mais um mandato, Dilma sofreu uma conspiração golpista comandada pelo próprio vice – presidente Michel Temer, apoiado por um congresso majoritariamente corrupto.

Mas, a realidade desmascarou os novos detentores do poder e seus aliados na Câmara e no Senado. Senão vejamos. O presidente,bda Câmara Eduardo Cunha, foi cassado cumprimento pena na carceragem da PF de Curitiba, PR, ja condenado há mais ou menos 30 anos de prisão. Neste ano que  termina, tivemos escândalos escabrosos, tais como a mala de dinheiro que o assessor de Temer, ex – deputado  Rocha Loures, carregava, sendo filmado por agentes da PF.

Tivemos ainda a monumental quantia em dinheiro, aproximadamente, 50 milhoes, que a investigação policial encontrou em um apartamento em Salvador, alugado pelo irmão de Geddel, que fora secretário geral de Temer.

Na visão do Presidente Temer, um constitucionalista das antigas, ninguém estaria preso no caso de corrupção,embora seja um crime hediondo. Agora no indulto natalino, Temer amplia o perdão da pena de criminosos comuns para os corruptos da – lava – jato. Em que baderna constitucional estamos atolados, com o apoio do ministro Gilmar Mendes que reza na cartilha de Temer.

Boa sorte Brasil em 2018. Que elejamos um Presidente sem o estigma da corrupção.

” Samuel Filho “

CABECEIRA DO CÂNCER ( POEMA)


nascemos e morremos sem
uma diferença : um não vi
a outra não podemos contar
porque termina na eternidade da matéria
a morte não diferencia ricos e pobres
além – túmulo.

Deus foi derrotado por Belzebu na ganância
dos bens materiais e Deus venceu o diabo
nas promessas paradisíacas aos pobres
como sou utópico acredito nas promessas
de Jesus Cristo, primeiro socialista do mundo
já fui cristão de infância, ateu na juventude
e na velhice voltei ao pó da fé cristã sem
dogmas e fanatismo e outras cretinices de
falsas igrejas e profetas

agradeço a deusa anestesia geral que mata
e ressuscita sem dor como nas cirurgias
gostaria de morrer tranquilo sob efeito
de anestesia seja ela qual for

o médico me disse que tenho coração e pressão
bons com generosidade do coração
apesar de não tolerar arrogância de corruptos
e quaisquer outras

o médico me liberou para beber moderadamente
e para não fumar jamais

– Evoé, Baco, disse o poeta

* Samuel Filho

O TEMÍVEL CÂNCER (1)


download-1

Quando o médico me disse que eu estava com um tumor maligno no lado direito da língua, confirmou-se a minha suspeita de que  era câncer.  Ele falou, com visível  convicção, que a causa fora o cigarro, mesmo sem  saber que fumei algum tempo.

Confesso que senti um nervosismo que há muito tempo não tivera. Uma sensação de tremor e paralisia ao mesmo tempo. A sensação foi tamanha que me senti como se já estivesse morto, tal é o poder da propaganda massificada no inconsciente coletivo de que  o câncer é uma doença incurável e letal. Depois, comecei a me lembrar dos guerreiros Lula e Dilma, ambos venceram o câncer. Sem falar, em outros personagens da politica brasileira que até conviveram com o mal durante mais de 20 anos como Darci Ribeiro, Reitor da Universidade de Brasília, politico e escritor.

Não me lembro de casos semelhantes de pessoas humildes, mas certamente existiram ou existem aqueles, mesmo pobres, conseguiram vencer o câncer . Hoje, com o avanço da medicina e da tecnologia, a doença pode ser  tratada, com sucesso , desde que seja detectada no inicio, é o que dizem  os oncologistas.

No meu caso, estou empenhado em superar e ficar bom. Em termos de patologia, carrego desde os 40 anos o diabetes mellitus.  Por desrespeito à dieta de um diabético, minhas pernas foram amputadas, por minha própria culpa. Talvez, a experiência de diabético indisciplinado sirva agora para enfrentar meu câncer inicial.

Já fiz todos os exames solicitados pelo médico. Do ponto de vista dos resultados, estou fisicamente preparado para entrar na faca. A cirurgia vai durar duas horas , à base de anestesia geral. E hoje tive a boa noticia dada pela enfermeira e cunhada Gracinha que o corte na parte da língua será naturalmente recuperada após o tratamento.

Até os próximos dias. Pretendo relatar mais um desafio entre tantos outros em nome da vida e até da própria morte. Esta não podemos evitar. É o ciclo natural e o destino inexorável  da condição humana, animal, vegetal e do planeta terra.