Blog de Samuel Filho


marcha

As marchas pela igualdade de gênero e pela legalização da maconha vêm sacudindo a opinião pública. Na câmara dos deputados federais e no senado, as bancadas evangélicas se manifestaram indignadas contra as relações homoafetivas. Mas, nas ruas, os movimentos encontram apoio da juventude, principalmente.

Entre pros e contra, o fundamental é que prevaleçam as liberdades democráticas, a livre expressão dos pensamentos, sem cerceamento totalitário. Aliás, o Supremo Tribunal Federal decidiu, nesta semana, em sessão histórica liberar as biografias não autorizadas. Os ministros do STF deram votos calcados na liberdade de pensamento.

A marcha da maconha é outro movimento que tem conquistado o apoio até de personalidades politicas como o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que até recentemente fez palestras defendendo a descriminalização da erva, tão cara aos nossos nativos indígenas, os quais podem usá-la nas aldeias, conforme permite a legislação. No senado, o pedetista Cristovam Buarque, ex-reitor da universidade de Brasília, e ex-ministro da educação do governo Lula, tem um projeto que é favorável ao uso da droga canabiótica para fins recreativos. Assim, a maconha vai deixando de ser amaldiçoada como uma coisa maldita. Há dias atrás, lemos no jornal Folha de São Paulo Online, que nos Estados Unidos foi fundada a igreja da maconha, numa das unidades federativas norte-americana.

No Maranhão, vivemos um retrocesso perigoso, porque os artistas são tratados como criminosos porque defendem a legalização da cannabis sativa. Embora , pessoalmente , tenha ultrapassado a idade de saúde para os vícios, penso que o futuro é das forças sociais progressistas em todos os quadrantes do Brasil. Acontece, como dizia o grande Caio Prado Júnior, temos as elites mais atrasadas do mundo, que pregam a virtude e seguem o vicio. A corrupção, por exemplo, é um comportamento altamente destrutivo para a justiça social, parece até que estamos em um país pontilhado por ilhotas de quadrilheiros de todos os tipos. Para mascarar os seus malfeitos, os poderosos buscam forjar preconceitos absurdos.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Meu Twitter

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

%d blogueiros gostam disto: